Header Ads

Inexplicável!!! Recebendo 3 vezes mais recursos que Coroatá, Caxias paga abono de menos de 50% aos professores



Por mais que os fantasmas e mensalinhos do grupo Coutinho tentem explorar nas últimas horas a concessão do abono aos professores, a sensatez recomenda muitos questionamentos no valor desse beneficio.

A proximidade da campanha eleitoral, e os indícios cada vez mais fortes que o prefeito Léo Coutinho, com a rejeição gigantesca que insiste em não largar do seu pé, caminha para a derrota, seus apaniguados estão num verdadeiro estado de êxtase divulgando o “grande feito” do chefe.

São mensagens de “parabéns, Léo”, “Força, Léo”, “agora é nóis (sic)”, “Tamo junto”, “Cadê a oposição?” e vários ‘argumentos’ sofríveis e patéticos tentando dar ao prefeito ares de gestor comprometido com os trabalhadores do município.

Mas, diante desse festival de “ôba, ôba” da mensalada, muitos pingos nos is devem ser colocado nesse presente inesperado do prefeito Léo Coutinho.

Para não ir muito longe, vamos comparar o abono concedido aos professores no município de Coroatá, que foi de R$ 2.050,00 (dois mil e cinquenta reais) com este anunciado com estardalhaço pelo grupo Coutinho, de apenas R$ 1.000,00 (mil reais).

Vamos lá!

Segundo dados do IBGE, para a estimativa populacional de 2015 na cidade de Coroatá, os habitantes daquele município seriam em número de 63.281.

Já Caxias, segundo o IBGE na estimativa também para 2015, tínhamos 161.137 habitantes, ou seja, quase o triplo de habitantes de Coroatá.

Ora, tendo Coroatá pouco mais de um terço dos habitantes de Caxias, logicamente os repasses constitucionais do governo federal na Saúde, Educação e FPM, acompanham essa proporção.

Sendo assim, com Caxias recebendo praticamente três vezes os recursos de Coroatá, como explicar que o pequeno município consiga pagar um abono salarial aos professores 100% maior que o que será pago aos mestres caxienses?

Outra, por ser governado pela esposa do ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, o município de Coroatá não recebe nenhum tipo de apoio financeiro ou institucional do governo do Maranhão, não tendo, portanto, nenhuma folga de caixa que pudesse justificar um abono de tão alto valor quando comparado com a cidade de Caxias.

O único argumento possível para os coutinhianos quando tentam defender o prefeito de Caxias é de que o mesmo, apesar da crise financeira, “é o único que paga os salários em dia”, de tão surrado, já se tornou chato e, de tão cretino, é ridículo, uma vez que em Coroatá os salários também são pagos em dia.

Fica difícil para qualquer coutinhiano, por mais imbecil e tolo que seja, conseguir encontrar um argumento lógico para sustentar a disparidade entre os abonos concedidos em Caxias e aquele feito em Coroatá.

Não fosse a insistência dos professores, através do Sintrap, que luta há muito tempo por esse abono, a cobrança dos vereadores de oposição na Câmara Municipal e deste blog, jamais o prefeito Léo Coutinho iria conceder abono algum a sofrida categoria do magistério.

A concessão desse abono também teve a participação de alguém que não protesta e não reclama, apenas dá o troco de quatro em quatro anos: a urna eletrônica.

Não fosse ano eleitoral, seria praticamente impossível o prefeito Léo Coutinho fazer esse mimo à categoria mais penalizada na gestão dos Coutinho: os professores.

Portanto, antes dos coutinhianos comemoram a concessão desse abono, deveriam encontrar algum argumento lógico para justificar o motivo de que o mesmo seja menos da metade que aquele feito aos professores de Coroatá.

Duvido que encontrem alguma explicação para isso.

Fonte: Blog do Sabá

Nenhum comentário

O blog não se responsabiliza pelos comentários, são de única exclusividade dos autores, postantes..

Tecnologia do Blogger.