Header Ads

Garota de 12 anos é curada de caso raro de epilepsia com ajuda da maconha

Foto: Reprodução / Daily Mail
Annalise Lujan, 12 anos,de Tucson, Arizona (EUA), foi diagnosticada com uma síndrome rara de epilepsia em abril deste ano
A condição, relacionada a uma infecção febril, fazia com que a garota sofresse de constantes crises de convulsão.

Ela foi colocada em coma induzido no mesmo mês, a fim de evitar danos ao seu cérebro.

Sua mãe Maryann Estrada-Lujan, insistiu que a criança fosse tratada com óleo de canabidiol (CBD), o que de fato a curou.

Annalise acordou de seu coma no mês seguinte, deixando médicos e especialistas divididos sobre a eficácia da cannabis para o tratamento de epilepsia.


Análise estava no meio de uma aula de educação física quando começou a vomitar e perdeu a sensação das pernas.

À medida que sua condição piorava, seus pais a levaram às pressas a um hospital, onde imediatamente foi colocada em coma medicamente induzido para salvar seu cérebro de danos.

Diagnosticada com uma síndrome de epilepsia relacionada à infecção febril (FIRES), a condição fez com que Annalise sofresse continuamente com convulsões, o que poderia lhe causar lesões cerebrais ou morte.

Uma vez que a medicação regular proposta pelos médicos não estava funcionando, a mãe da garota resolveu considerar outras opções. Foi então que ela encontrou uma droga derivada de cannabis, mais especificamente óleo decanabidiol.

Assim, após três tratamentos, em 8 de maio Annalise saiu do coma. Atualmente ela não apresentou mais convulsões, embora ainda esteja em terapia para recuperar suas habilidades cognitivas.

Fotos: Reprodução / Daily Mail

Os sintomas da FIRES normalmente aparecem entre um e 14 dias após a criança ter uma febre. As convulsões começam lentamente antes de piorar, com alguns casos relatando 100 convulsões por dia.

Trata-se de uma condição extremamente rara, um em um milhão de crianças diagnosticadas. No entanto, enquanto a óleo de cannabis teve serventia para Annalise, especialistas médicos ainda estão divididos sobre sua eficácia de forma geral.

Segundo o ex-cirurgião geral Vivek Murthy, a maconha poderia ser útil no tratamento de certas condições, mas ainda são necessárias mais pesquisas.

Em um estudo inovador sobre o tema, cientistas da Universidade de Nova York e do Hospital Infantil Great Ormond Street descobriram que canabidiol reduziu para metade uma crise epiléptica rara.

Tal achado marcou um ponto importante nos esforços para introduzir a droga como um plano de tratamento eficaz. Contudo, outros especialistas alegam que o estudo não é de fato tão promissor, uma vez que os pacientes utilizados nos experimentos também estavam tomando outras drogas.

Nos EUA, o consumo de maconha para fins medicinais e recreativos é legal no Colorado, Washington, Alaska, Oregon, Nevada, Califórnia, Maine e Massachusetts.

Jornal Ciência

Nenhum comentário

O blog não se responsabiliza pelos comentários, são de única exclusividade dos autores, postantes..

Tecnologia do Blogger.