sábado, 17 de fevereiro de 2018

Polícia soluciona falso sequestro forjado por jovem de 19 anos para tirar dinheiro dos pais


O jovem Yuriton Rodolfo Pereira de Freitas, 19, simulou o próprio sequestro para obter dinheiro dos pais, no município de Itacoatiara, na região metropolitana de Manaus. A polícia foi comunicada e, logo detectou a farsa, encontrando Yuriton e o local onde ele se manteve escondido enquanto mentia para a família por meio de mensagens de celular alegando sempre que estava sendo mantido em cativeiro.
O plano do jovem contou com ajuda de outros dois colegas e foi colocado em prática na tarde da última quinta-feira (15), quando ele sumiu de casa e telefonou para os pais informando que estava sequestrado. Yuri, como é mais conhecido, chegou a enviar fotografias para os celulares dos pais, em que aparecia com os olhos vendados com um pano preto, agachado no canto de uma sala e com as mãos amarradas.
Os delegados Paulo Barros e Lázaro Mendes reuniram a equipe da Delegacia Interativa e Delegacia Especializada de Itacoatiara e realizaram as investigações que desvendaram toda a farsa criada por Yuriton e os seus amgos. Ele foi se esconder em uma casa localizada na rua 7 de Setembro, bairro da Prainha, onde foram produzidas as fotografias enviadas para pressionar os pais a conseguirem R$ 20 mil, exigidos como resgate do filho.


Policiais de Itacoatiara também prenderam os dois outros envolvidos na farsa

O casebre usado por Yuriton e seus colegas no falso sequestro

Policial averigua quarto onde foram feitas as fotografias
usadas no falso sequestro (Fotos: Divulgação) 

No local usado como cativeiro no falso sequestro, os policiais prenderam Leonardo Viera Gonçalves, 25, e Alexandre Gonçalves da Silva, 23, que tramaram o crime juntamente com Yuriton. Os dois rapazes confessaram que fizeram parte do sequestro forjado, mas acusaram Yuriton de ter sido o principal mentor de todo o plano e de sua execução também.
Enquanto a polícia ainda investigava o que ainda era tratado como sequestro, Yuriton chegou a enviar mensagem para os pais dizendo que já tinha sido violentado pelos sequestradores. O jovem e seus dois amigos foram indiciados por falsa comunicação de crime, segundo informaram os delegados Paulo Barros e Lázaro Mendes que também enalteceram participação de policiais militares no trabalho que levou a elucidação do falso sequestro. 

Fonte: Portal do Zacarias