quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Desespero: Farsa da inelegibilidade de Flávio Dino é tapetão de Ricardo Murad

A menos de dois meses da eleição e com derrota iminente nas eleições deste ano, o clã Sarney mostra evidentes sinais de desespero. A farsa da vez contra o governador Flávio Dino foi propagandeada por blogueiros pagos pelo ex-super secretário de Roseana Sarney (PMDB), Ricardo Murad (PRP).

A tentativa de “tapetão” diz respeito à decisão de uma juíza eleitoral de Coroatá, território político da família Murad, que determinou a inelegibilidade do governador Flávio Dino e do pré-candidato a deputado federal Márcio Jerry, além da cassação do mandato do prefeito de Coroatá, Luís da Amovelar Filho e do seu vice.

O problema é que a decisão da juíza é de primeira instância, e a Lei da Ficha Limpa é categórica ao definir que só serão considerados inelegíveis políticos condenados em órgão judicial colegiado, ou seja, em segunda instância.

Manobra

O deputado estadual e líder do governo na Assembleia, Rogério Cafeteira (DEM), usou as redes sociais para condenar a manobra orquestrada pelo clã Murad. “A juíza pode ‘declarar’ o que quiser, só não tem poder para tornar candidato inelegível, até porque essa condenação teria que passar por um órgão colegiado ou transitado em julgado, vide a Lei Complementar 135/2010… Portanto, isso não é um FATO e sim mais uma FAKE!”

O projeto de “tapetão” foi movido pela ex-prefeita de Coroatá, Teresa Murad, esposa de Ricardo Murad, derrotada nas eleições municipais de 2016. Na época, a derrota de Teresa Murad foi encarada pela população como “o fim da oligarquia Murad em Coroatá”.

Do Marrapá