Hugleice da Silva, 35, está foragido desde domingo (18) quando ao ver uma mensagem no celular da sua esposa, Mayara Bianca Barbosa Rodrigues, 29, amarrou a mulher e cortou o pescoço da vítima na residência do casal, localizada no Jardim Santa Maria, em Rondonópolis (212 km de Cuiabá-MT).
Segundo consta as informações da polícia, o casal estava na residência, quando Hugleice pegou o celular da mulher e ao ver uma mensagem dela com outro homem não gostou, foi tirar satisfação com Mayara e o casal iniciou uma discussão.
Durante o imbróglio, Hugleice se apossou de uma faca e começou a atacar a mulher, amarrou a vítima e fez um corte no pescoço de Mayara. Após cometer o crime, o acusado fugiu em um veículo Pálio de cor prata.
Mayara conseguiu se soltar e pedir ajuda. Muito ferida, a vítima foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Regional de Rondonópolis, onde permanece internada em estado grave.
Além de tentar matar a esposa, Hugleice ligou ameaçando os familiares de Mayara.
Hugleice e Mayara
Réu confesso
O advogado José Roberto da Rosa relatou a imprensa de Campo Grande durante uma entrevista, que Hugleice ficou com ciúmes ao ver que a esposa estava trocando mensagens com outro homem.
“Ele entrou em contato comigo já no final da tarde, me relatando que ele acabou pegando o telefone da esposa, eles discutiram e ele acabou fazendo o uso de uma faca, e desferiu um golpe no pescoço dela, e segundo ele relatou pra mim, foi em um momento de nervosismo, ele perdeu o chão  e tinha na esposa com quem eles tem um filho, o seu porto seguro, e infelizmente isso aconteceu”, disse José Roberto.
Segundo o advogado, o seu cliente fugiu de Mato Grosso, e está escondido na casa de parentes, e a defesa trabalha para que Hugleice se apresente espontaneamente para a polícia em Mato Grosso.
Hugleice há sete anos chegou a ser detido depois de levar a irmã de Mayara para praticar um procedimento abortivo que culminou na morte da jovem Marielly Barbosa, que tinha 19 anos na época.
“Há uma preocupação da defesa com a situação em si, pois Hugleice já tem um antecedente que todos conhecem, e agora aguardo um desfecho que está lá na Comarca de Sidrolândia (MS) relativo ao caso da Maryelly, e essa é a minha preocupação o antecedente dele”, informou o advogado.
Neste processo de Sidrolândia, Hugleice responde por incentivo ao aborto e ocultação de cadáver.
.
FONTE: AgoraMT - CampoGrandeNews