terça-feira, 23 de abril de 2019

População de Imperatriz se revolta com omissão do governo Flávio Dino…

População de Imperatriz se revolta com omissão do governo Flávio Dino…

Auxiliar do governador vai às redes sociais para anunciar obras em São Luís e recebe uma enxurrada de criticas de imperatrizenses que cobram atenção ao município e o fim da rixa com o prefeito Assis Ramos


A POSTAGEM DE CLAYTON NOLETO QUE GEROU AS CRÍTICAS DA POPULAÇÃO DE IMPERATRIZ e mostrou revolta com o governo Flávio Dino
O governador Flávio Dino (PCdoB) acabou sendo alvo de uma série de críticas nas redes sociais, nesta segunda-feira,22.
Tudo começou com uma postagem do seu secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.
Ao mostrar uma obra de tapa buracos em São Luís – no mesmo período em que Dino demonstrou desprezo pela cidade de Imperatriz – Flávio Dino demonstrou retaliação ao prefeito Assis Ramos.
Uma das primeiras críticas foi a de um internauta, que comparou: “dois pesos  duas medidas. O que vale para São Luís não vale para Imperatriz”.
Em seguida, diversos outros imperatrizenses se manifestaram – às centenas – sempre com críticas ao governador.
Veja abaixo os prints das críticas de Imperatriz a Flávio Dino:

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Cassação de Flávio Dino: TRE começa a ouvir prefeitos…

Cassação de Flávio Dino: TRE começa a ouvir prefeitos…

Relator das ações, desembargador Tyrone José Silva, determinou aos juízes eleitorais que ouçam, inclusive, o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, além dos de Caxias, Fábio Gentil, e de Timon, Luciano Leitoa


FLÁVIO DINO É RÉU NA AÇÃO DE CASSAÇÃO DE MANDATO QUE TERÁ EDIVALDO JÚNIOR COMO TESTEMUNHA, e que implica também o secretário Clayton Noleto
Os juízes das zonas eleitorais de São Luís, Caxias, Timon, Brejo, Estreito e Grajaú terão 30 dias para colher o depoimento dos prefeitos Edivaldo Júnior (São Luís), Fábio Gentil (Caixas), Luciano Leitoa (Timon), Zé Farias (Brejo), Lahesio Rodrigues (São Pedro dos Crentes) e Mercial Arruda (Grajaú).
Todos eles são testemunhas na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), que pede a cassação do governador Flávio Dino (PCdoB) e do seu vice, Carlos Brandão (PRB), por supostos crimes eleitorais em 2018.
A determinação das oitivas é do relator do processo no Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Tyrone José Silva.
São três AIJEs movidas pela coligação “Maranhão Quer Mais”, que tinha como candidata a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).
De acordo com o processo, Flávio Dino usou a estrutura administrativa do governo, bem como se utilizou de convênios e obras durante o período eleitoral para se beneficiar dos votos nesses municípios.
Em todas as ações, a coligação pede a cassação do diploma de Flávio Dino, do vice, Carlos Brandão, e a consequente anulação dos seus votos.
Nas oitivas de São Luís, além de Edivaldo Júnior, serão ouvidos o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Lula e mais Renato Souza Leal, Erik Augusto Costa e Silva, Lídia Cunha Schramm e Maria Raimunda de Fátima Santos Oliveira.
Os juízes eleitorais têm até meados de maio para encaminhar os relatórios das das audiências.
A partir daí, Tyrone Silva marcará as novas etapas do processo…

Fonte Marco Deça

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Alô Flávio Dino! Mulher em trabalho de parto é carregada por estrada no MA

A precária situação das estradas que cortam o Maranhão produziu uma cena lamentável nesta semana.

Na tarde desta quinta-feira (11), o Blog do Gilberto Léda recebeu um vídeo de uma mulher em trabalho de parto tendo que ser carregada por uma estrada tomada por buracos e lama.

As primeiras informações dão conta de que o caso foi registrado na altura do KM-40 da BR-316, próximo a Maracaçumé.

A situação é tão degradante na via que carros não conseguiam passar e, no desespero para chegar a uma unidade hospitalar, a mulher foi carregada nos braços por dois homens.


Culpa do Sarney

Apesar de já estar no segundo mandato, o governador Flávio Dino (PCdoB) segue culpando os Sarney pelos problemas da sua gestão.

No caso das estradas, segundo ele, o problema todo é da “herança” que recebeu.

“Herdamos uma malha viária antiga, sem manutenção adequada e sem drenagem. Não se corrige tudo isso de uma vez só. Fazemos ações emergenciais permanentemente e seguimos com as ações estruturantes”, disse o comunista.

No entanto, ele não explicou de quem herdou, por exemplo, a MA-315, construída e inaugurada no seu governo, e que desmanchou em dois meses (saiba mais).


Fonte: Gilberto Leda

sexta-feira, 29 de março de 2019

Centros de hemodiálise prometidos no MA seguem com obras paradas

Centros de hemodiálise prometidos no MA seguem com obras paradas
Sete centros de hemodiálise que deveriam ser inaugurados em 2015 pelo Governo do Maranhão continuam com as obras paradas. Em 2014, foram reservados R$ 7.5 milhões em um convênio com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a construção dos centros, mas nenhum foi entregue.
Na região da baixada maranhense, uma alternativa do governo foi improvisar nove máquinas de hemodiálise no Hospital Regional, mas o número é insuficiente para a grande demanda da região.
Em contrapartida, o Centro de Hemodiálise de Pinheiro prometido há anos está com as obras paradas. Em julho de 2018, o secretário estadual de saúde, Carlos Lula, chegou a anunciar no Twitter que a clínica de Pinheiro seria entregue em 90 dias, mas ficou apenas na promessa.
Um dos pacientes que poderiam ser beneficiados pela clínica em Pinheiro é o Benjamim Soares, de 75 anos. Ele precisa sair da cidade três vezes por dia e viajar por oito horas em viagens para São Luís para fazer hemodiálise. Quando chega na capital, ainda precisa passar quatro horas na máquina.
“Eu vou porque sou obrigado e o sofrimento é muito grande. Agora… ou vai… ou morre. A gente tem que escolher”, disse Benjamim.
Em Chapadinha foram improvisadas nove máquinas de hemodiálise no Hospital Regional, o que ainda não supre a demanda da região. Em 2014, foram liberados R$ 2,4 milhões para a construção do Centro de Hemodiálise de Chapadinha, mas a obra ficou apenas na terraplanagem. O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) abriu procedimento para investigar onde foi parar o dinheiro.
Na cidade de São José de Ribamar, o centro está em fase de conclusão, mas não há mais trabalhadores no local desde o ano passado. Já para o Centro de Hemodiálise de Coroatá, quase R$ 2.5 milhões foram liberados em 2014 para a realização da obra, que deveria ser entregue em 2015. O prazo para conclusão era de 180 dias, mas quatro anos depois, o que existe é uma obra inacabada e que está tomada pelo mato.
O paciente renal Augusto Nascimento mora perto da obra abandonada em Coroatá, mas precisa viajar mais de uma hora para fazer hemodiálise no centro mais próximo, que fica em Pedreiras.
“Se tivesse bem aí, era bom. Era pertinho”, disse o lavrador.
A Maria Antônia, de 26 anos, fazia o mesmo trajeto de Augusto para fazer hemodiálise em Pedreira, mas em fevereiro passou mal durante a viagem e morreu no caminho.
“Se o centro fosse aqui próximo, talvez tinha salvo porque a UPA é muito próxima do centro. Mas hoje tá cheio de mato lá”, contou Jonacir Alves, cunhado da Maria Antônia.
Em nota, a Secretaria de Saúde do Maranhão disse que oferece quase 180 mil sessões de diálise por ano e que as obras estão atrasadas porque houve problemas com as empresas contratadas para o serviço e que o dinheiro do BNDES continua disponível para fazer as clínicas. Entretanto, não mencionou qualquer prazo para que os centros de hemodiálise sejam entregues.
Gilberto Leda

quarta-feira, 27 de março de 2019

Cadê a justificativa do governo Flávio Dino sobre o desmanche da MA-315?


Após a matéria – em primeira mão por esse blog – “Assistam ao vídeo e vejam a situação deplorável da MA-315 (Barreirinhas/Paulino Neves) que foi entregue no dia 15 de janeiro de 2019”, 21 de março de 2019, onde mostra o desmanche de uma rodovia estadual considerada como a primeira ecorodovia com menos de três meses, cujo valor ultrapassa os R$ 9 milhões para construção de 38 quilômetros, o governo Flávio Dino não se manifestou e sequer disse que iria buscar junto a construtora a recuperação da tal ecorodovia.
Agora, são diversos vídeos que apontam a cada dia que passa o desmanche e ninguém fala nada. O certo é que a ecorodivia que liga Paulino Neves a Barreirinhas já foi pro espaço!!!
]Fonte> Caio Hostílio

terça-feira, 26 de março de 2019

Insegurança jurídica assola o Maranhão, diz Edilázio

Insegurança jurídica assola o Maranhão, diz Edilázio
O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) denunciou na tribuna da Câmara Federal, o desrespeito à Constituição Federal e a afronta do Governo Flávio Dino (PCdoB) ao Poder Judiciário no Maranhão.
Para Edilázio, Flávio Dino tem promovido um sítio de insegurança jurídica no estado, o que tem afetado de forma negativa a economia e as relações sociais e institucionais no Maranhão.
“O Governo do Maranhão viola a independência e a harmonia entre os Poderes, é uma tristeza o que temos vivido no estado. Para vocês terem uma ideia, Flávio Dino baixou um decreto que autoriza o Estado a não cumprir decisões judiciais com relação à reintegração de posse. Ouçam: existe um decreto no Maranhão ue proíbe a Polícia Militar de efetivar cumprimento a decisões judiciais de juízes ou desembargadores sobre a reintegração de posse”, disse.
Para Edilázio, uma afronta à Constituição. “Hoje o nosso estado é a Disney do MST, é o local onde os sem-terra e os sem-teto estão indo. E aí faço uma pergunta a vocês: Qual investidor vai ter coragem de comprar terra para empreender, num estado onde o governador é parceiro do MST?”, questionou.
Ele também lembrou do não pagamento de precatórios no estado ao longo da gestão comunista.
“É importante que vocês e que o Brasil saibam a realidade do nosso estado. O Maranhão hoje está pagando hoje os precatórios de 2014. Na verdade, não está pagando, porque, desde julho de 2018, o governador não cumpre a emenda constitucional que obriga que 1/12 da receita do estado seja destinado para o pagamento dos precatórios. Vale dizer, trata-se de R$ 22 milhões por mês que seriam usados para pagar os precatórios, mas que não estão sendo repassados para o Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão. Hoje, soma-se quase R$ 150 milhões. O Que causa espanto é que o Tribunal de Justiça Não toma nenhuma atitude”, disse.
O parlamentar falou da situação difícil de prefeitos do interior do estado, que estão submetidos ao sequestro mensal do Fundo de Participação dos Municípios, situação que é inversa ao do Executivo.
“Os municípios hipossuficientes, paupérrimos, mensalmente têm bloqueado o seu Fundo de Participação para pagarem os precatórios, enquanto isso, o Governo do Estado segue num céu de brigadeiro dando calote naqueles a quem o estado deve”, pontuou.
Ele afirmou que a insegurança jurídica e o calote do Governo será um dos temas apresentados, em São Luís, ao ministro Humberto Martins, Corregedor Nacional de Justiça que cumpre agenda na capital.
Do Gilberto Leda

quinta-feira, 21 de março de 2019

Prefeito Tema assina o termo de adesão junto a SEDUC aderindo o Pacto pela aprendizagem do governo do Estado

Entre os objetivos do Pacto, se destacam a garantia de que todos os estudantes do território maranhense estejam alfabetizados, em Língua Portuguesa e em Matemática, na idade certa; a redução da distorção idade-série na Educação Básica; a elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), além da contribuição no aperfeiçoamento da formação dos profissionais de educação das redes municipais.

sábado, 16 de março de 2019

Crueldade comunista

Crueldade comunista
O Maranhão amarga as piores colocações no Brasil em índices sociais e econômicos. Mais de 50% dos cidadãos estão abaixo da linha da extrema pobreza, ganhando até R$ 400,00 mensais. Mesmo assim, o Governo do Estado mantém a maior estrutura de secretarias, autarquias e empresas públicas do Brasil. São 37 secretarias e agências e mais de 15 autarquias e empresas públicas, cujos gestores têm status de secretário, a exemplo do comandante-geral da Polícia Militar, chefe do Cerimonial e diretora-geral do Detran.
Uma estrutura agigantada dessa forma só pode resultar em gastos gigantes. E tudo isso é mantido pelo contribuinte, que amargou nos últimos quatro anos três aumentos de impostos.
E, apesar de ser um árduo defensor de taxar as grandes fortunas no Brasil, o governador Flávio Dino (PCdoB) não teve a mesma postura ao decidir pelos reajustes de alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS), considerado um dos mais injustos dos impostos, já que chega para todos os cidadãos da mesma forma.
Então, para manter uma estrutura tão inchada, Flávio Dino aumentou o ICMS da gasolina, energia elétrica, diesel – que mexe com toda a cadeia de produção que vai desde um simples bombom até a cesta básica, devido à necessidade do transporte.
Com isso, o governador do Maranhão acaba penalizando os mais pobres. Se há aumento de produtos como pão, feijão e arroz, por exemplo, pesará mais para quem ganha menos, já que o valor do pão pago por um contribuinte rico é igual ao pago pelo contribuinte que faz parte da parcela dos 54% dos maranhenses que vivem na extrema pobreza.
Não há outro termo mais adequado que crueldade. Para atender a seus aliados políticos, Dino aumentou a estrutura de sua administração às custas dos mais pobres.
Governo dos amigos – Flávio Dino deixou claro, ao empossar pela primeira vez os seus novos secretários, que estava fazendo o jogo político de distribuição de cargos.
Segundo ele, o seu governo seria compartilhado com seus aliados. E para isso, Dino teve até de desfazer a fusão das secretarias de Cultura e Turismo e criar mais três.
Além disso, o jogo político que passa pela estrutura pública mira as eleições de 2020 e 2022. Haja bolso para o maranhense conseguir manter tudo isso.
Repetir – E se repetir o que fez em seu primeiro mandato, o governador Flávio Dino deverá oferecer muito mais aos seus aliados.
O comunista poderá reeditar ações de seu governo que foram cruéis para o cidadão como o “aluguel camarada”, a “farra de capelães” ou “mais impostos”.
Se com a intenção de se reeleger o comunista abriu as portas para seus aliados, com a intenção de ser candidato a presidente tudo poderá ficar pior.
Estado Maior

terça-feira, 12 de março de 2019

Procuradoria eleitoral pede cassação do diploma de Antônio Pereira

Procuradoria eleitoral pede cassação do diploma de Antônio Pereira
antonio pereira 940x540 - URGENTE!! Ministério Público eleitoral pede a cassação do diploma do deputado Antônio Pereira - minuto barra
A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Maranhão protocolou, em janeiro último, representação contra o deputado estadual Antônio Pereira (DEM), pedindo a cassação do diploma do parlamentar por suposta captação e gasto ilícito de recursos durante a campanha de 2018, quando foi reeleito com 37.935 votos.
No documento, obtido com exclusividade pelo ATUAL7, a PRE-MA aponta que o democrata emitiu seis cheques nominais, no valor de R$ 38,5 mil, em favor de Risoneide Freitas dos Santos, verba oriunda de sua conta bancária eleitoral de campanha, sem que essa pessoa fosse fornecedora de qualquer bem ou serviço e sem demonstrar, de modo satisfatório, a real destinação destes recursos.
A irregularidade,  ocasionou a desaprovação das contas de Antônio Pereira pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, em decisão unânime.
No processo de prestação de contas, o parlamentar argumentou que os cheques teriam sido emitidos em nome da coordenadora de pessoal de campanha, por ser ela a responsável pelo pagamento dos responsáveis pela panfletagem e divulgação da campanha.
Contudo, diz a PRE-MA, diferentemente de outros casos – nos quais o Tribunal decidiu pela aprovação das contas com ressalvas –, Antônio Pereira apresentou apenas relações com os nomes e CPF dos supostos militantes, com suas supostas assinaturas ao lado, sem sequer identificar o valor recebido por qualquer deles.
“Assim, além de não haver garantia de que essas pessoas tenham prestado algum serviço de campanha ou tenham sido realmente remuneradas, não há sequer informação do valor pago a cada uma delas. Não é possível, ainda que essas relações sejam consideradas válidas, identificar a efetiva destinação da verba sacada nominalmente por terceiro não fornecedor de nenhum serviço”, diz trecho da representação, assinada procurador regional eleitoral, Pedro Henrique Castelo Branco.
ATUAL7

domingo, 10 de março de 2019

Cadê o dinheiro que dizem ter pago os médicos da rede estadual de saúde? Surgiu o DEVEDÔMETRO!!!

Cadê o dinheiro que dizem ter pago os médicos da rede estadual de saúde? Surgiu o DEVEDÔMETRO!!!
Vejam abaixo a falta de pagamento dos médicos que prestam serviço nas unidades de saúde do Estado, logo vale perguntar: CADÊ O DINHEIRO QUE ERA PARA ESTÁ AQUI?
Caio,
A classe médica criou o DEVEDÔMETRO SES nos grupos de Whatsapp com o objetivo de atualizar os débitos da SES em relação aos pagamentos dos médicos prestadores de serviços nos hospitais da capital e do interior contraponto o discurso de que o salário dos médicos está atualizado
DEVEDÔMETRO SES
01 – Serviço de cirurgia de Pinheiro – mês de janeiro e fevereiro 
02 – Serviço de cirurgia de Coroatá- mês se Janeiro e fevereiro 
03- Serviço de Clínica médica de Itapecuru Mirim Dezembro janeiro e fevereiro.
04 – Serviço de pediatria de Peritoró- Janeiro e fevereiro 
05 – Serviço de cirurgia do Macro Santa Inês: janeiro e fevereiro
06 – Serviço de ultrassonografia de SENADOR ALEXANDRE COSTA desde agosto do ano passado
07 – Todos os serviços médicos de Matões do Norte dezembro e janeiro
08 – Serviço de pediatria do macro de Pinheiro- Janeiro e fevereiro
09 – clínica médica de Peritoró- Janeiro e fevereiro
10- médicos do ambulatório e coleta da HEMOMAR- Janeiro e fevereiro
11 – UPA Chapadinha- Janeiro e fevereiro
12 – Serviço de Clínica Médica do Macro de Pinheiro: janeiro e fevereiro 
13- Serviço de Clínica Médica do Macro de Santa Inês: janeiro e fevereiro
14- Serviço de Ortopedia do Macro de  Pinheiro: janeiro e fevereiro
15 – Serviço de Ortopedia do Macro de Santa Inês: janeiro e fevereiro
16 – UPA Bernardo Sayão de imperatriz: janeiro e fevereiro
17-Hospital servidor público HSLZ- janeiro e fevereiro!
18-  Serviço de Clínica Médica do HCM : janeiro e fevereiro

Do Caio Hostílio

sexta-feira, 8 de março de 2019

Onde foram parar os R$ 13 milhões da reforma da piscina do Castelinho?”, denuncia deputado Wellington

Onde foram parar os R$ 13 milhões da reforma da piscina do Castelinho?”, denuncia deputado Wellington
O deputado estadual Wellington do Curso oficiou o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura, para prestar esclarecimentos sobre o destino de R$ 13.598.557,36 que foram destinados à reforma e adaptação do parque aquático do Complexo Canhoteiro em São Luís, isto é, Ginásio Castelinho. As obras deveriam ser iniciadas em junho de 2017, conforme placa do Governo.

A denúncia do deputado Wellington sobre a suspeição de desvio de recursos públicos pelo Governo do Estado ganha um peso maior diante do teto do Ginásio Castelinho, que desabou na última quarta-feira (06), por falta de manutenção. 

“Há menos de 02 dias, o teto do Ginásio Castelinho desabou. Flávio Dino, a população quer saber onde foram parar os R$ 13 milhões que deveriam ser aplicados na reforma do parque aquático, isto é, a piscina do Castelinho? Afinal, a obra deveria ter sido entregue em janeiro de 2018. Aqui no Maranhão o Governador precisa entender o que significa reformar. Reformar não é pintar as grades de vermelho, Governador. Nesse caso em específico, o teto desabou por falta de manutenção. Para fazer propaganda do esporte o Estado tem recursos, mas para garantir a reforma e manutenção o dinheiro desaparece?”, disse Wellington.

quinta-feira, 7 de março de 2019

Wellington do Curso solicita ao CREA cópias de todas as ART’s das obras públicas construídas desde 2015 no Maranhão


No início da tarde desta quinta-feira (07), o deputado estadual Wellington do Curso protocolou no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Maranhão - CREA-MA ofício em que solicita informações quanto ao registro de obras públicas. A solicitação abrange todas as Anotações de Responsabilidade Técnica - ART’s emitidas desde janeiro de 2015 até o dia 28 de fevereiro de 2019.
Ao fundamentar a solicitação, o deputado Wellington afirmou ser necessário para esclarecer alguns pontos como contrato, valores e origem dos recursos de várias obras que tem sido entregues, anunciadas em propaganda e, dias depois, se deteriorizam, evidenciando a péssima qualidade do serviço, a exemplo do asfalto utilizado em todo o Maranhão.
“Obras superfaturadas e, em seguidas, deterioradas! A população não entende o motivo pelo qual se gasta tanto com algo de péssima qualidade. Estamos aqui solicitando as Anotações de Responsabilidade Técnica que contém informações cruciais como valores gastos e origem dos recursos. Tanto o Governo quanto as Prefeituras precisam entender que não é porque a obra é pública que se pode fazer de qualquer jeito. É dinheiro público e isso tem que ser fiscalizado. Um exemplo é a Beira Rio, em Imperatriz. Uma obra que custou 03 vezes mais caro e não teve a qualidade esperada. Isso tem que acabar!”, disse Wellington.

terça-feira, 5 de março de 2019

Aumento de ICMS passa a valer hoje; combustíveis mais caros no MA

Aumento de ICMS passa a valer hoje; combustíveis mais caros no MA
De O Estado
Sancionada no dia 8 de dezembro do ano passado, começa a valer efetivamente hoje a Lei nº 10.956, que reajusta alíquotas de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina, diesel, biodiesel, bebidas alcóolicas, refrigerantes, dentre outros, em todo o Maranhão.
Esse é o terceiro aumento do tributo na gestão Flávio Dino (PCdoB) – os outros dois ocorreram em 2015 e em 2017 (saiba mais).
Segundo a nova legislação que trata do imposto, a maior alta se deu nas operações de produtos como refrigerante, energéticos, isotônicos, embarcações de esporte e de recreação – inclusive esquis aquáticos, kites e jets skis -, rodas esportivas para automóveis e drones, por exemplo.
Para essas categorias, o ICMS a ser cobrado passa de 25% para 28,5%.
A gasolina passa de 26% também para 28,5%.
Além disso, o governador acrescentou óleo diesel e biodiesel à lista de produtos que recebem um adicional de dois pontos percentuais na alíquota do mesmo ICMS. Nesse caso, o imposto sobre esses produtos subiria de 16,5% – já de acordo com a nova lei -, para 18,5%.
Impacto – Como a alta do combustível impacta diretamente em toda a cadeia de transportes, há também previsão alta nos preços de alimentos, por exemplo.
Tomando como base os valores atualmente praticados em São Luís, o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombústíveis-MA), Leopoldo Santos, revelou, no fim do ano passado, que o valor do litro da gasolina na capital pode voltar ao patamar próximo de R$ 4,10.
Em toda a cidade, atualmente, a média do preço do litro da gasolina varia entre R$ 3,98 e R$ 4,00, na maioria dos casos. O preço de referência para cálculo do ICMS, estipulado pelo governo, é de R$ 4,03.
De acordo com Santos, ao elevar a alíquota sobre esse combustível de 26% para 28,5%, o Executivo deve provocar uma alta média de 8 centavos em cada litro de gasolina.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

“Vocês não estão mais sozinhos”, diz deputado Wellington ao defender acesso à saúde para pessoas com doenças genéticas e raras

“Vocês não estão mais sozinhos”, diz deputado Wellington ao defender acesso à saúde para pessoas com doenças genéticas e raras
O deputado Wellington do Curso presidiu a mesa na Audiência Pública sobre Doenças Genéticas e Raras, no auditório Plenarinho, com mais sete horas de duração e transmissão ao vivo pela TV Assembleia, nesta quarta (27).
Com o lema “Raros sim! Invisíveis não!”, pais e mães de crianças e outras pessoas com doenças genéticas e raras estiveram presentes em importante audiência pública. Estiveram presentes também a secretária adjunta de saúde do Estado do Maranhão, Lídia Schramm; a coordenadora do Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência da Defensoria Pública do Maranhão, Lívia Carvalho; o presidente da Associação Maranhense de Doenças Genéticas e Raras, Paulo Ricarte; o diretor do Núcleo de Relações Internacionais da UFMA, Leonardo Teixeira; o vice-presidente da Fundação Antônio Dino, Antônio Dino Tavares.
Na ocasião, as mães e pais expuseram solicitações de políticas públicas que possam ser efetivadas para garantir o acesso à saúde, entre elas a criação do Centro de Referência para Tratamento de Pessoas com Doenças Genéticas e Raras.

“Nossos filhos precisam de atendimento. São raros, possuem doenças raras, mas eles não são invisíveis e possuem uma importância imensurável para nós. Precisamos que o Estado garanta um Centro de Referência. Estamos cansados de ter dificuldade para diagnosticar até mesmo o que nossos filhos possuem. É a saúde deles. É a nossa vida”, desabafou uma das mães.

Entre debates e discussões, a médica geneticista, Dra. Maria Juliana expôs alguns pontos, entre eles a necessidade de o Estado aumentar a demanda de médicos para garantir o atendimento à população que necessita.

“Ao contrário do discurso vago de que não há recursos para garantir o tratamento das pessoas com doenças genéticas e raras, é preciso entender que há recursos sim. Se há recursos para desviar, há também para aplicar. Aqui no Maranhão, apenas eu, como geneticista, atendo essas pessoas. Essa realidade tem que mudar. A saúde das pessoas tem que ser prioridade”, disse a médica, que já é geneticista há 10 anos.

Após ouvir as solicitações, o deputado Wellington elencou todos os encaminhamentos e se comprometeu a dar prosseguimento às ações para garantir a efetivação de políticas públicas.

“Vocês não estão mais sozinhos. Eu agradeço a confiança depositada em nosso trabalho. Elenquei todos os encaminhamentos e estaremos na luta para efetiva-los como políticas públicas. É inadmissível que, no Maranhão, para ter acesso à saúde as mães tenham que judicializar. Tanto Flávio Dino quanto os prefeitos precisam entender que com a saúde das pessoas não se brinca e a nós cabe a luta para transformar direitos em realidade. Contem comigo!”, afirmou o deputado Wellington.

Além de Wellington do Curso, estiveram presentes os deputados estaduais Rafael Leitoa (PDT); Dr. Leonardo Sá (PR); Dra. Helena Duailibe (Solidariedade); Dr. Yglésio (PDT); Rildo Amaral (Solidariedade); Fernando Pessoa e Daniella Tema (DEM).

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

BR-135: após solicitação de Braide, ministro virá ao Maranhão

BR-135: após solicitação de Braide, ministro virá ao Maranhão
O deputado federal Eduardo Braide (PMN) confirmou hoje (27) a vinda do ministro da Infraestrutura, tarcísio Freitas, ao Maranhão para tratar da retomada das obras de duplicação da BR-135, que estão paralisadas por recomendação do Ministério Público Federal e também por decisão do Tribunal de Contas da União (reveja).
Nas redes sociais, o parlamentar postou uma mensagem do próprio ministro, confirmando a visita.
Braide foi um dos que cobraram a presença de Freitas no estado para avaliar in loco a situação (saiba mais).
Por Gilberto Leda

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Deputado Wellington do Curso posiciona-se a favor da permanência da prova da OAB

Deputado Wellington do Curso posiciona-se a favor da permanência da prova da OAB
Em agosto de 2015, o deputado Wellington chegou a realizar importante audiência pela garantia da manutenção do exame de ordem
Na manhã desta terça (26), o deputado estadual Wellington do Curso posicionou-se contra o Projeto de Lei Nº 832, de 2019, que extingue a exigência do exame de ordem para inscrição de advogados na Ordem dos Advogados do Brasil – OAB. A proposta está em tramitação na Câmara Federal e, caso aprovada e encaminhada à sanção, terá repercussão em todo o Brasil. 

Em agosto de 2015, o deputado Wellington chegou a realizar importante audiência pela garantia da manutenção do exame de ordem.

“Sabemos que o advogado é indispensável à administração da justiça, tendo por isso uma responsabilidade social notável atrelada a si. Nesse sentido, temos a relevância do Exame da OAB, já que se admitíssemos que pessoas que não estivessem devidamente preparadas exercessem a profissão, haveria prejuízo não apenas funcional, mas social. Por isso, nós estamos na luta contra esse Projeto de Lei e a favor da manutenção da prova da OAB”, disse o professor e deputado Wellington do Curso.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

“O jornalismo no maranhense está de luto!” diz deputado Wellington ao homenagear o amigo blogueiro Robert Lobato

Na noite deste domingo (24), o deputado estadual Wellington do Curso fez homenagem nas suas redes sociais e emitiu nota de pesar pelo falecimento do jornalista Robert Lobato, que morreu afogado na tarde deste domingo, no Distrito Federal. Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima tentou atravessar a nado o riacho, mas acabou se afogando.
Para o deputado Wellington, o jornalismo maranhense perdeu um grande protagonista.
“É com pesar que recebemos a triste notícia do falecimento do nosso amigo Robert Lobato. Um blogueiro e jornalista que muito fez pela transmissão de notícias no Maranhão. Um protagonista no nosso tempo, com uma escrita refinada, análises políticas coerentes, respeito e notoriedade de todos que o conheciam. Eu, em particular, nutria sentimentos sinceros de respeito e carinho por quem reciprocamente foi um parceiro e em alguns momentos confidente e consultor. Pedimos a Deus que console os corações dos familiares e amigos e que o receba de braços abertos. Deixamos aqui os nossos mais sinceros sentimentos a um amigo. Descanse em paz, amigo Bob!”, disse o deputado Wellington do Curso.

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Wellington visita as obras de ampliação do Hospital Aldenora Bello e reforça a destinação de R$ 500 mil em emendas parlamentares


Nesta quinta (22), o deputado Wellington do Curso, juntamente com outros parlamentares, visitou as obras de ampliação do Hospital Aldenora Bello. Na Fundação Antônio Dino foi recepcionado pela anfitriã Enide Jorge Dino e pelo vice-presidente, Antônio Dino Tavares, que contaram a história da Fundação, como se mantém até os dias de hoje e a importância dela para todo o Maranhão.

A Fundação Antônio Dino nasceu pela necessidade de dar suporte ao paciente com câncer, por meio de diversas unidades operacionais, tais como o Hospital, o Centro de Ensino e Pesquisa, o Consultório Amigo da Vida, a Campanha de Prevenção, a Casa de Apoio e o Núcleo de Voluntários. E atualmente conta com parcerias governamentais como o Ministério Público do Trabalho (TRT), convênios com o Estado, empresas privadas, doadores anônimos e emendas parlamentares. 

“Fizemos a destinação de nossas emendas parlamentares no valor de R$500 mil para serem aplicados no apoio à Fundação Antônio Jorge Dino, Hospital Aldenora Bello. Nosso objetivo é incentivar que o atendimento à população continue com qualidade. Nosso compromisso é com a saúde dos maranhenses”, declarou Wellington do Curso.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

“Enquanto Flávio Dino nega informações, maranhenses padecem em hospitais”, diz deputado Wellington sobre caos na saúde

“Enquanto Flávio Dino nega informações, maranhenses padecem em hospitais”, diz deputado Wellington sobre caos na saúde
O deputado estadual Wellington do Curso, por meio do Requerimento 53/2019, solicitou ao governador Flávio Dino informações sobre todas as empresas, Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que tem vínculo com a Secretaria de Saúde. O objetivo da solicitação é fiscalizar a relação entre gastos e serviços ofertados à população, já que o Governo do estado tem anunciado “investimentos” na saúde, mas isso fica apenas na propaganda, pois, na realidade, a população tem padecido com a falta de atendimento e hospitais sendo fechados.

Apesar de ser de grande relevância, o requerimento do deputado Wellington foi indeferido pela mesa diretora. No entanto, o parlamentar recorreu da decisão ao plenário para que possa apreciar a solicitação, mesmo sabendo que são 39 deputados da base governista de Flávio Dino, na Assembleia.

“Falta de transparência do governo que usa a Assembleia! Um simples pedido de informações é negado pelo simples motivo: o governador sabe que, na prática, ele não investe assim como diz na propaganda. Enquanto Flávio Dino nega informações, maranhenses padecem em hospitais. Há duas semanas, estive em Matões do Norte e o Hospital de lá estava fechado. Agora, o governador vem falar em uma ‘reforma’, querendo transformar um hospital que fazia até cirurgia em uma policlínica que realizará apenas  exames. A população quer saber onde é que tá todo esse investimento que Flávio Dino diz que faz. Ao que parece, o medo dele de ser desmentido fez com que indeferisse nosso requerimento, por meio da mesa diretora da Assembleia. Mas, recorremos ao plenário e será apreciado na próxima sessão legislativa. Vamos aguardar para ver como vais se comportar a base governista, muito embora as possibilidades sejam meninas, tendo em vista que a base governista é maioria esmagadora, ”, afirmou o deputado Wellington.

O caos na saúde tem sido um ponto já abordado pelo deputado Wellington, que tem denunciado a superlotação dos hospitais e com pacientes até nos corredores; a demora excessiva para marcação de consultas e realização de cirurgia e, ainda, a comum falta de medicamentos. Foi por tudo isso que o parlamentar sugeriu a instauração da CPI da Saúde a fim de garantir melhorias em São Luís e, assim, no Maranhão.